2016-10-08

CRENÇAS, DUVIDA, CÉU E INFERNO - OSHO.

Ventos de Paz




Posted: 07 Oct 2016 05:56 AM PDT

"Todo mundo ensina a crença, mas ninguém ensina a dúvida, porque a dúvida é natural. Os verdadeiros mestres, como Gautama Budha, dizia a seus díscípulos : "Não creiam só porque eu digo que é assim. Não creiam apenas porque as sagradas escrituras dizem que é assim. Não creiam só porque as massas crêem em certa coisa. A menos que você experimente, jamais acredite em nada. Siga duvidando - siga duvidando até o fim."

A dúvida é uma qualidade natural, intrínseca do seu ser; é dada por Deus. Use-a, porque ela tem tremendo poder em si. Ela é um instrumento para se descobrir a verdade.
Não sugiro que você se torne profundamente convencido de nada; sugiro que você duvide e que duvide totalmente, de modo que você possa descobrir a verdade. A dúvida não é contra a verdade, a dúvida é uma metodologia para se descobrir a verdade. A dúvida não é um inimigo da verdade, mas o único amigo. A crença é o inimigo da verdade, porque é a crença que impede de descobrir, de investigar.(...)

Eu sou apenas um amigo. Estou aqui para explicar a você como eu descobri a verdade. A dúvida foi meu processo. meu próprio caminho para chegar à verdade. E eu gostaria que vocês se tornassem cada vez mais e mais afiados, inteligentes. Duvide mais cientificamente. Assim como na ciência, a dúvida o ajuda a descobrir, ela também ajuda na jornada interior.

Assim, a primeira coisa que eu gostaria de sugerir-lhe é esta: abandone a ideia de "profundas convicções".(...)
Quando você diz: Eu estou profundamente convencido de que nosso caminho é abandonar o ego...

Quem é este Eu estou? Quem está convencido? Ora, isso é uma contradição! Você diz: Eu estou profundamente convencido de que nosso caminho é abandonar o ego... "Eu estou" não é nada mais que um outro nome para o ego. Agora, você entrou numa confusão. Se o ego está convencido de que o único caminho é abandonar o ego, então, quem vai abandonar quem? E como? É como você puxa-se para cima pelos seus próprios cordões de sapato. Você vai aparecer só um tolo. Observe cada palavra que você usa. " Eu estou" não é nada mais que o ego.

A segunda coisa: ninguém jamais foi capaz de abandonar o ego, porque o ego não é uma realidade que você possa abandonar; algo para ser abandonado tem de, pelo menos, ser real, substancial. O ego é apenas uma noção, uma ideia. Você não pode abandoná-lo, você pode somente compreendê-lo. Você pode abandonar a sua sombra? Você pode correr tão depressa quanto queira, mas a sombra correrá na mesma velocidade, exatamente na mesma velocidade.

Há uma história taoísta sobre o homem que ficou com medo da sua sombra. Ele estava lendo uma história... Ele estava sozinho numa fazenda, numa pequena cabana, e no meio da escuridão profunda da noite, lendo uma história que estava dizendo que as sombras não são nada além de fantasmas. Ele ficou tão amedrontado que olhou novamente e a sombra estava ali. A lógica natural era que ele não estava correndo tão depressa como deveria; então, ele começou a correr cada vez mais e mais depressa. Quanto mais depressa ele corria, mais depressa a sombra o seguia. Ele ficou completamente exaurido e cansado, tanto que não pôde mais correr e simplesmente sentou-se debaixo da sombre de uma árvore. No momento em que ele sentou-se sob a árvore, sua sombra desapareceu.
Ele ficou espantado; ele não pôde escapulir da sombra enquanto estava correndo daquele jeito e agora que ele estava simplesmente sentado debaixo da sombra da árvore, a sombra desaparecera.

Esta é uma bela parábola de grande significado.
Você não pode abandonar o ego. Uma vez que você comece a tentar a abandonar o ego, você vai entrar numa fria; você vai ficar cada vez mais e mais preocupado e confuso. E esse não é o meio de se livrar do ego. O único meio de se livrar do ego é olhar-se para ele.
Primeiro tente descobrir onde ele está, se ele está aí ou não, em primeiro lugar. E a pessoa que vai para dentro, jamais o descobre; ele simplesmente desaparece.
O ego é apenas uma ideia, uma ideia daquela gente que jamais foi para dentro. E elas sofrem por causa do ego - porque ele é uma coisa falsa, ele cria sofrimento. Lembre-se: a realidade sempre cria bênçãos, e a falsidade sempre traz a miséria.


O inferno é a coisa mais falsa do mundo - o céu é a única realidade. Nós estamos dentro dele agora mesmo, neste exato momento. Nós não podemos estar em nenhum outro lugar.
Se você está num inferno, isso é criação sua, fantasia sua, você está vendo um sonho. Se você está no céu, isso não é fantasia sua, não é sonho seu, é assim que as coisas são. O céu é o ambiente das coisas.


Basta olhar para dentro e tentar descobrir, desvendar onde está o ego, e você se surpreenderá: você não poderá achá-lo em lugar nenhum. E quando você pode encontrá-lo em algum lugar, ele vai embora - sem que seja abandonado.

Mas, se você começar a abandoná-lo, isso será como correr para fugir da sombra. Você ficará desnecessariamente exausto, cansado e começará a se sentir muito culpado, por não ter sido capaz de se livrar do ego. Você começará a se sentir como um pecador, começará a se condenar. Toda a sua vida será destruída, somente por um simples erro: o de que você olhou para fora e saiu correndo, jamais olhou para dentro.

Uma simples experiência do mundo interior é o bastante para revelar o fato de que o ego é uma falsidade, de que nós não estamos separados, de que somos um só, de que somos parte de um único universo orgânico."

Osho em Teologia Mística - Discursos sobre o Tratado de São Dionísio.