2014-08-09

APOIO OCULTO APOIO OCULTO.

APOIO OCULTO
Certa vez, numa floresta tropical, uma onça pintada circulava pela mata atrás de uma presa para o seu almoço. Buscava uma caça que pudesse saciar a sua fome, que sinalizava de forma aguda. Eis que avistou um coelhinho, uma fácil e pequena vítima para a ágil onça.
O coelhinho encontrava-se, em frente à sua toca, que ficava na entrada de uma caverna escura. Sozinho e concentrado, cercado de livros, de óculos, com um caderno e uma caneta em punho, descrevia uma teoria. A onça logo reconheceu a oportunidade que ali se apresentava, para fazer pelo menos um pequeno lanche. Percebendo a concentração em que se encontrava o coelhinho na sua atividade, a onça resolveu abordar o seu futuro almoço de uma forma suave para não liberar adrenalina naquela carne macia, que depois seria digerida mais facilmente. Desta forma, aproximou-se do coelhinho:
- Bom dia, senhor coelho – apresentou-se a onça, com disfarçada diplomacia.
- Bom dia, dona onça. Respondeu o coelhinho demonstrando total indiferença diante o perigo que poderia representar aquele felino predador para a sua vida.
A onça percebeu a tranquilidade do coelhinho e resolveu, curiosamente, estender um pouco mais aquele diálogo, antes de dar o bote fatal naquela potencial vítima.
- O que está fazendo com tantos livros e tão concentradamente, coelhinho?
- Estou terminando de elaborar a minha tese sobre a sabedoria no reino animal. Respondeu o coelhinho, com ar de imponente intelectualidade.
- Sobre sabedoria?! E qual a conclusão da sua tese?
Na onça pintada, despertou uma curiosidade investigativa, e queria ela saber o quanto aquele desprotegido coelhinho poderia ser sábio e quais os tipos de sabedoria poderiam ser de valia para a sobrevivência e existência de um animal, numa floresta tão violenta como aquela, onde os animais se matavam e se comiam uns aos outros. 
O coelhinho vendo o interesse daquela onça, continuou a sua exposição.
- Após muitas observações e pesquisas, conclui que os coelhinhos são os animais mais sábios e inteligentes, dentre os animais que habitam esta floresta.
- Mais inteligentes e sábios?! Exclamou a onça já suspeitando daquela tese. Mostre-me a sua tese e me prove, então, que vocês coelhos são tão sábios e inteligentes!
- Claro que sim. Entre comigo em minha toca, e explanarei com detalhes e convicção sobre a minha tese. Verá com os seus próprios olhos o que pesquisei e conclui.
De prontidão, a onça aceitou o convite. Dentro daquela caverna, seria mais fácil capturar o coelhinho, caso ele tentasse fugir, diminuindo assim o seu esforço. O coelhinho parecia estar com o tempo contado. Entraram na caverna e, logo em seguida, ouviu-se bastante barulho. De longe, escutavam-se os gritos de perseguição, desespero e agonia, vindo de dentro daquela toca. Algo acontecia... De repente, um silêncio se estabelece e o coelhinho sai da sua caverna, trazendo o seu livro, tranquilamente, retornando ao seu posto de estudos. 
Pouco tempo depois, eis que sai da caverna um grande leão lambendo os lábios, fartado com o almoço que acabara de desfrutar. A onça já não existia mais. Ao passar ao lado do coelhinho, o leão se despede cordialmente daquele encontro:
- Até breve, senhor coelho. Grato pelo almoço e tenha um bom dia.
- Por nada, amigo leão, e até breve.
MORAL: “Não importa o quão seja absurda a tese que você defenda. O importante é o quê ou quem te dá apoio oculto. O coelhinho simboliza qualquer ser que possa crer na proteção oculta. O leão simboliza a força oculta que consome a ignorância. A onça simboliza o ego humano, predador ignorante que necessita de uma morte simbólica. A toca simboliza a casa dos conhecimentos e da sabedoria, na consciência do ser.”  
http://confederacaointergalactica.blogspot.com.br/